• Home
  • Blog
  • Qual o modelo de talabarte ideal para minha atividade?

Qual o modelo de talabarte ideal para minha atividade?

Clique aqui para escutar o texto

Neste texto vamos falar de um assunto que ainda gera muitas dúvidas… talabarte para retenção de queda, para restrição, para trabalho posicionado, você já deve ter ouvido falar sobre eles, mas sabe qual a diferença e quando utilizar cada um?


É muito importante saber escolher o modelo de talabarte ideal para cada atividade, muitas vezes o usuário pode estar utilizando um modelo de talabarte que não condiz com seu trabalho, podendo gerar uma falsa sensação de segurança e exposição ao risco. Vamos conhecer um pouco mais sobre a diferença entre os modelos e onde usar cada um deles.


O que é um talabarte?

O talabarte é um acessório do cinturão de segurança que tem como objetivo mais conhecido travar a queda do usuário, mas também pode ter outras funções como apenas restringir uma queda, limitando seu espaço de movimentação ou auxiliar em um trabalho posicionado, por exemplo. Ele não é mais um Equipamento de Proteção Individual, por isso, nos últimos anos, não é possível encontrar mais o CA (Certificado de Aprovação) neste tipo de produto. Desde 2015, o Ministério do Trabalho proibiu a emissão isolada do CA para este dispositivo. O talabarte só pode ser utilizado em conjunto do mesmo fabricante do cinto de segurança.


Classificando o talabarte por tipo de atividade

No mercado, encontramos diferentes modelos de talabarte para trabalho em altura, vamos listar os principais abaixo:


Trabalhos Gerais
  • Talabarte Simples: É utilizado em situações em que o usuário não precisa realizar escalada ou movimentação com troca do mosquetão de lugar. Isto porque, ele é composto por apenas um ponto de ancoragem. Também utilizado como limitador de distância (restrição), em linha de vida horizontal ou ponto de ancoragem.

  • Talabarte Duplo: Ideal para utilizar quando precisa de movimentação e troca constante de posição dos mosquetões, por exemplo. Ele é composto por um ponto de conexão com o cinto e dois pontos de conexão para ancoragem. Também utilizado para progressão em escadas, de modo que o trabalhador permaneça ancorado em todo o percurso, bem como, quando há necessidade de trocar a ancoragem de uma linha de vida para outra ou outro ponto de ancoragem.

Trabalho Posicionado
  • Talabarte de Posicionamento: O talabarte de posicionamento, não é um equipamento para a retenção de queda. E sim, como um sistema para posicionar o trabalhador. Por isso, fique atento! É fundamental e obrigatório que ele seja utilizado em conjunto com o Talabarte de retenção contra quedas ou trava quedas.

Riscos específicos
  • Talabarte Antichama: Para atividades em que o usuário realize trabalho a quente, o modelo de talabarte também segue a linha de raciocínio acima, de acordo com sua atividade, porém é necessário que a matéria prima do equipamento tenha aplicação e resistência para trabalho a quente.

  • Talabarte Dielétrico: Para atividades em que o usuário realize trabalho em local energizado, o modelo de talabarte também segue a linha de raciocínio acima, de acordo com sua atividade, porém é necessário que o modelo do talabarte tenha a aplicação e resistência de proteção dielétrica, normalmente para esses talabartes as partes metálicas são recobertas ou compostas de outro material que não seja metálico ou conduza eletricidade.

  • Talabarte Dielétrico e Antichama: Para atividades onde o usuário trabalha em local energizado, realize atividades a quente ou até mesmo risco de arco elétrico, o modelo de talabarte também segue a linha de raciocínio acima, de acordo com sua atividade. Porém, é necessário que o modelo de talabarte tenha a aplicação tanto dielétrica quanto antichama, pois para esses modelos, além das partes metálicas serem recobertas ou composta de outro material que não seja metálico ou conduza eletricidade, as fitas também seguem um material diferente para proteção antichama.

O que signica ABS (Absorvedor de Energia)?

Quando utilizamos um modelo de talabarte para retenção de queda, encontramos também um componente do equipamento que é o absorvedor de energia.


O ABS, tem como função, atenuar o impacto ao corpo do usuário no caso de uma queda. O impacto no corpo do usuário não pode ultrapassar o limite de 6kN que é estabelecido pela norma. Esse componente é de extrema importância para segurança do usuário, mas é importante atentar-se a outro ponto quando for utilizar um talabarte para retenção de queda, que é a ZLQ.


ZLQ: Pontos de atenção

Quando for utilizar um talabarte para retenção de queda é importante se atentar a ZLQ (zona livre de queda) mínima indicada pelo fabricante naquele talabarte. A zona livre de queda é a distância mínima de segurança entre um ponto de ancoragem e um de colisão. Ela se faz necessária para que, durante uma queda, o trabalhador não atinja um obstáculo ou diretamente o chão. A ZLQ deve sempre estar relacionada ao sistema utilizado para a retenção de queda.


Inspeção do talabarte

Você já deve estar acostumado a ouvir falar sobre a inspeção dos seus equipamentos, mas não custa lembrar.


Antes de iniciar a atividade é importante fazer uma inspeção visual no seu talabarte, onde você pode observar pontos como:


  • Os mosquetões apresentam sinais de oxidação, fissuras ou desgastes?
  • As marcações e etiquetas estão legíveis?
  • O ABS (Absorvedor de energia) está intacto?
  • As fitas apresentam cortes ou algum tipo de deterioração?


Os EPIs, acessórios e sistemas de ancoragem que apresentarem defeitos, degradação, deformações ou sofrerem impactos de queda devem ser inutilizados e descartados, exceto quando sua restauração for prevista em normas técnicas nacionais ou, na sua ausência, normas internacionais.



Fonte: Danny

Distribuidor Autorizado

CADASTRE SEU E-MAIL E
RECEBA NOSSAS NOVIDADES

Enviar